“Blogueira” ser ou não ser?


julho 01, 2017 – 2 Comentários

Na verdade eu não sei qual o termo utilizar neste post seria “blogueira”, “digital influencer”, “youtuber”, “instagramer”? Acredito que não tenha uma resposta exata para isso, basta estar inserido em um determinado meio digital, ser o autor do conteúdo ali e é isso o que te representa. O tempo que eu passei longe do blog acabei me deparando com diferentes o posts sobre praticamente o mesmo conteúdo o da Aninha (leia), da Karol Pinheiro (leia) e o vídeo do Tudo Orna (veja) que me deixaram com vontade de escrever alguma coisa por aqui.

Não é fácil, eu sinto que nos tempos de hoje, a essência do que é ter um blog que em um  passado não muito distante, vive em uma plena e constante mudança. Como dito pela Aninha no seu post: Não nasci para ser “blogueira”, o que é ser blogueira hoje na verdade é o que a gente vê na mídia: eles são autores de livro, tem peça de teatro, presença em grandes e tradicionais eventos, milhares de seguidores nas redes sociais, viagens nacionais e internacionais durante o ano inteiro, enfim muitas outras coisas. E nesse universo digital a cada dia aparece um novo “famoso”, uma nova pessoa que está fazendo sucesso, e tudo isso é feito por pessoas onde a maioria dessas tem menos de 40 anos. Onde isso de fato virou uma “profissão”, virou sonho de  muita gente exercer isso como carreira, ainda mais quando se sabe que se ganha dinheiro (em alguns casos muito!) que virou a principal fonte de renda para muita gente, que largou trabalho formal e etc, etc.

Sinceramente eu não acho isso ruim, não entro no mérito se a pessoa teve uma profissão antes ou não, nem se tem algum tipo de formação técnica ou superior,  ganhando dinheiro honestamente não vejo nada ruim, ainda mais quando é o sustento até mesmo de uma família, isso me faz pensar na post da Karol Pinheiro o: A verdade sobre qual será o futuro desse blog, onde sua formação que é jornalismo, sendo uma das principais funções da profissão é escrever, hoje por conta do YouTube ser a maior plataforma da internet, o canal dela é onde encontra a sua maior visibilidade e comentários e os tais “números” e o mais interessante deste post da Karol na verdade, é o que fazer com o blog nos dias de hoje sendo o que faz sucesso do momento é fazer vídeo? Esse ser blogueira e/ou digital influencer, não é uma tarefa nada fácil, quem de fato quer, hoje tem que se traçar um plano ter um objetivo e que você de fato trabalhe com muito foco e persistência.

Pensando nesses três conteúdos que me fizeram pensar o que me leva a alguém compartilhar algo por aqui, porque a pessoa quer estar aqui?!. Isso é com certeza o vídeo com das irmãs do Tudo Orna trás o total sentido, se você consome esse tipo de conteúdo desses produtores digitais, você simplesmente cria afinidade por aquela pessoa o jeito que ela coloca ali o conteúdo e você consome aquilo que ela compartilha, não necessariamente você vai viva igual, você apenas gosta e é sensível a ter a mesmo intuito de compra, ela apenas compartilhou algo offline em seu próprio meio digital e que se reflete de alguma forma no seu também no seu offline.

Todo esse post foi uma grande reflexão sobre entender e dizer que o mundo dos blogs não é e não vai voltar a ser mesmo e vai viver ainda mais mudanças, virou uma profissão e um objeto de desejo de muitos. Só penso no trabalho que dá de ter um layout legal, escrever um post por aqui de tirar e editar fotos, escrever sobre livros e produtos, de momentos e lugares que visitou é uma vida aqui compartilhada e também um lugar de afinidade onde encontra diversos do assunto, mas cada um com a sua forma, sua perspectiva.

Mas hoje no meio disso tudo o que me levou a voltar a escrever e a ter algo aqui?.  Porque eu quero fugir pelo menos do foco que é o YouTube eu amo blogs, mesmo que só minha família leia, sei lá eu percebi de fato que quantidade não é qualidade, com certeza menos é mais, um grande exemplo disso nesse compartilha menos mas com eficácia é a Fran do Morando Sozinha. Tudo que postar aqui é o que eu quero o que eu gosto, o que eu experimentei, provei, vivi, ou faz parte da minha vida e quem sabe encontrar e fazer um time de pessoas que também compartilham do mesmo amor de ter um blog e tenham a mesma afinidade pelas mesmas coisas.

Tudo que é feito por amor e pelo que você de fato gosta, retorna o que é bom! Dai fica a pergunta para vocês do título do post!

Beijos da Cih 🙂




Comente pelo Facebook

Ou comente por aqui:

2 Respostas para "“Blogueira” ser ou não ser?"

Clayci - 03, julho 2017 às (14:42)

Ai Cinthya isso me fez lembrar da conversa que eu estava escutando no ônibus.
Duas meninas falando que não querem trabalhar, mas querem ser blogueiras para ganhar as coisas de graça.
É triste ver como a maioria das pessoas enxergam quem trabalha com isso, né?
Não é fácil criar conteúdo, pesquisar, lidar com críticas, inspirar e muio mais coisas rs..
Quem está entrando na blogosfera hoje tem que ter paciência e dedicação não tem jeito.
Amei seu artigo.

Beijos

Responder

Jessica Mendes Macan Francisco - 19, julho 2017 às (09:19)

Sim, bem isso, eu também amo blogs, em relaçã ao YouTube eu penso ser algo muito legal, eu também sou inscrita em vários canais, principalmente de humor hahaha mas o que eu gosto mesmo e sempre visito são blogs, daí o que acontece nos blogs hoje em dia? A pessoa faz um post e dentro do post só tem um vídeo, pra que? Daí nem faz post, bem melhor do que enganar o leitor que foi lá para ler… Não é verdade? Enfim, eu gosto mais de blog e ponto final. Raramente me inscrevo em canais do YouTube e estou feliz assim, hahaha!

Estou com um projeto bem legal para premiar o melhor blog alternativo!
Se quiser ver do que se trata, só entrar no meu blog, ler as regras e se inscrever!
❤ blogmylittlecandy.blogspot.com.br

Responder

Me segue no Instagram: @nemrocknemroll

Publicidade


Nem Rock Nem Roll • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por